Wednesday, December 2, 2009

Primer curto da Videocarta


Muitos Saludos alunos e todo o pessoal da Luta Pela Paz e todos nossos leitores do blog!
Estamos felizes em anunciar que uma versão curta da videocarta está pronta para a seleção. Esta versão da videocarta será enviada para uma série de sites, organizações e escolas em um esforço para ensiná-los sobre nosso importante trabalho neste verão e dar-lhes um teaser do filme. Alunos, esperamos que vocês vejam seu trabalho e ofereçam suas sugestões para continuar colaborando juntos na conclusão colectiva do filme! Lembrem de continuar escrevendo e publicando suas fotos!
Saudades e abraços de tudo equipe da videocarta em Nova Yorke!
J. Alejandro Alvarez - Newschool University


Monday, November 30, 2009

Video letter posting!

I am happy to announce that a short version of the video letter is ready for screening. This version of the video letter will be sent out to a series of websites, organizations and schools in an effort to teach them about our fantastic workshop this summer and to give them a teaser of the upcoming full length video letter.

Christoffer Næss, New School University

video

Sunday, November 1, 2009

Meus amigos alunos,

Vocês estão sem notícias da nossa vídeo carta, eu sei. Estou passando aqui pra dizer que eu e Teresa estamos com dificuldades de aparecer no LPP para dar satisfações a vocês sobre o que está sendo feito do nosso trabalho - estivemos com alguns de vocês no dia da mudança de corda da capoiera, que foi fantástico! De vez em quando vamos até o Observatório conversar com o Bira sobre alguns projetos, mas não é um horário que vocês estejam no LPP. Estamos muito ocupados mesmo, por isso resolvi usar o blog pra dizer o seguinte.
Tenho falado com o Chris, Joel e Alejandro. Eles estão bem e com muita saudade, sempre perguntando muito de vocês. Não tenho falado com a Nadia, mas sei que ela também está bem. Melhor, todos eles estão fazendo aulas de português em Nova Iorque. Na última vez que falei com o Chris ele me disse que eles estão re-editando o nosso filme. Não que eles estejam mudando o que fizemos, eles estão refazendo exatamente da forma como ficou no dia em que o apresentamos na academia, mas agora a qualidade do som e da imagem vão ficar bem melhores. Espero. Algumas cenas decidimos cortar e é possível que haja uma ou outra mudança mais. Mas o trabalho é o mesmo, fiquem tranquilos.
Nosso trabalho ainda não acabou, em breve acho que teremos mais notícias. Ainda iremos enviar a nossa vídeo-carta para responder as crianças da aldeia e para quem mais se interessar em conhecer o que fizemos - não é pouca gente. Precisamos ter paciência, mas não achem que foi só isso. Nosso trabalho, quando estiver num DVD, estará disponível para todos e por muito tempo.
Saudades de todos,
Fabio Cascardo
Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro

Thursday, August 27, 2009

tudo que tem inicio tem que ter um fim. henrique

infelizmente acabol, mais eu ao menos dei continuação a essa vontade de fazer filmagens, eu estou fazendo ja um outro curso de video no vivia rio e ja pretendo fazer curso de cinema

Tuesday, August 4, 2009

David Carvalho

Fico feliz de ter feito um bom trabalho e estou fazendo o curso de fotografia com o Bira, assim como o Alejandro pediu, adicionei o Alejandro e o Joel no orkut.



David Carvalho
Luta pela paz

Friday, July 31, 2009

oi meu nome e rahone gomes eu fiz o curso de produçao e reproduçao de audio e gostei muito o filme que nos fizemos foi muito legal
rahone gomes
luta pela paz luta livre

o filme

No dia do filme foi muito bom muitas pessoas vinheram ver o filme eu fiquei com um pouco de vergonha mais foi tudo bem.

Teve salgadinho e acabou muito rapido eu só comi dois.

vidio carta

O video carta foi uma aula tao boa mas pena que acabou eu queria que todos os meses podia ter com a nadia,teresa,halejandro,fabio cris e joe os meus melhores pofessores.

David Carvalho

O filme ficou muito bom nossa só de ver aquelas pessoas nos aplaudindo deu maior orgulho.espero que todos que tenham assistido e os que assistiram esse video gostem. Vou deixar o meu e-mail para caso queiram manter contato, davidhyuuga@gmail.com, eu queria saber se esse video só vai pro Amazonas ou vai pra outros lugares?
Espero que tenha mais oportunidade como essa de poder fazer coisas tão legais com gente tão boa os professores) vou continuar escrevendo no blog e espero que vocês também. Isso eu vou levar pra vida toda e dei um grande passo em relação ao futuro e possa ser um jornalista, fotografo ou cameraman.



David Carvalho
Luta pela paz

Monday, July 27, 2009

Oi quarta-feira vai passar o filme que nós fizemos vamos convidar o pessoal do luta pela paz, todos os alunos do video carta, etc...


Rayanne Soares
luta pela paz capoeira

organizando as coisas

hoje é segunda-feira dia 27/07 e eu e o pessoal da vídeo carta menos o Fábio e Cris estamos no observatório de favelas organizando as coisa para essa quarta-feira. mas que coisas são essas? então essa organização se trata de como iremos fazer a exibiçaõ de nosso vídeo e como faremos para atrair o publíco. e vou te dizer no ta nada facil.
mais eu sei que irá dar tudo certo sem falhas e nenhum problema comum.
ass: Henrique[d.k]
oi meu nome e michel tenho dez anos. no final do filme tenho muitas coisa pra falar mas nao sei qual delas

David, video carta

Nossa, como passou rápido já vamos fazer a apresentaç~so do nosso trabalho e não tenho a mínima idéia do que vou falar nesa apresentação. A aula hoje foi no observatório das favelas com edição e ficou muito bom o que filmamos na praia.
O panfleto do alípio vai ficar bem maneiro mas como que vamos colocar nas ruas com tão pouco tempo e espero que todos gostem, pricipalmente vocês, da nossa apresentação mas como eu disse não tenho a mínima idéia de o que devo fazer e muito menos falar.




David Carvalho
OF, luta pela paz

Thursday, July 23, 2009

David


Oi! Adorei as fotos nossa foi muito legal apesar de eu ter tido cãembras e distenção muscular mas tudo bem, mas vocês podem manda-las pro meu e-mail (davidhyuuga@gmail.com) que pena que a Teresa não pode ir. Vou levar as aulas de video carta pra vida toda, não gosto de terminar assim tão rápido mas fico feliz que vocês voltem no final do ano e pode contar comigo pro que der e vier!


David Carvalho
Luta pela paz

First Maré, then the beach






















As always, time seems to get you by surprise, and we now only have one week left before the video carta comes to an end. But which one! The last couple of weeks have been worth waiting for. First came the opportunity to go outside the walls of Luta Pela Paz and film the kids' daily environment in Maré. A few days after the sun came out and we went to the beach in Ipanema to do a little filming, but most importantly to have a great day together. Both days could get the title of being 'the best summerday', to use a frase that Peter Lucas' students will remember. Simply meaning that they were pretty amazing.
The day we filmed in the streets and shops of Maré gave us some important footage for the video carta. Under Bira's guidance we got to film a little restaurant where a family of one of the kids were working. We shot a shop with birds and fish. And not least we filmed one of the smaller streets of the community, where people and also the postman were interviewed by the kids. It was not easy, but we succeeded in getting around with cameras and doing our shots without stepping on anyone’s toes. This could not have happened without Bira who was making sure that the kids never pointed the cameras towards the main street or other places where traffickers could be catched by the lense. As earlier mentioned Friday can be a hot day in Maré and while filming inside a restaurant a small group of men with big guns took place on the street. This is the first time that I have seen that so early during the day, but the kids didn’t care and even mentioned that we should relax – ’it’s normal’.

The day at Ipanema beach was of course more peaceful and had a handful of the more polished Kodak-moments. Blue sky, kids playing in the water and even a kite that the kids managed to get high high up in the sky. After playtime in the water we went to the big rock that divides Ipanema and Copacabana, Arpoardor. David filmed and the rest of the groups gave a sum-up of the day. It all ended very beautiful with the sun paiting the sky pink when we walked towards the van picking the kids up to go home.
Check out the pictures from both Maré and the beach. A lot of the pictures are taken by the kids, who are all very into not only filming but also photography.

Nadia Claudi The New School, New York

Monday, July 20, 2009

michel

oi meu nome e michel e tenho 10 anos moro na comunidade nova holanda e gosto da favela onde eu moro tem algumas pessoas que tem preconseito com os pretos e tambem das pessoas que mora em favelas pensando que e bandido ou ladrao entao tem que bota na cabeça que nem todos nao sao bandido ou ladrao.E esse e meu tema

video carta

Já estamos nas ultimas semanas do vídeo carta e foi muito legal aprender a filmar, a apresentar, etc .
Eu gostei muito de conhecer todos, e quarta-feira vai ter um passeio para a praia e se estiver chovendo nós vamos confirma para ir ao museu.

Rayanne soares
luta pela paz capoeira

David. video carta

Hoje, a aula foi muito exaustiva! Ningém quis levar nada a sério mas no final deu tudo certo e fizemos um bom trabalho com a ajuda de todos, mas por mim eu ficaria filmando o dia enteiro porque gosto muito. e gostei da idéia de ir ao museu como disse pro joel: "I like museum verry much".
por final gostei de tudo, menos da bagunça! Mas ficou muito legal.
Ah e não podia deixar de falar do cabelo da Nadia, nossa ficou muito irado muito bonito! Nadia ADOREI!
Feliz dia do Amigo a todos! Happy friends day!

David Carvalho,OF
Capoeira, lutapelapaz.

jogo com amigos

Ese e meu video com os meus amigos jogando bola no campo do sintetico todas as sexta na comunidade nova holanda.

Sunday, July 19, 2009

Put your hands in the air!

Alunos decidindo o que preferiam filmar na Comunidade.

Fazer uma vídeo carta exige bastante planejamento, por isso sempre chegamos na Maré com um plano A e um plano B. Isso quando não temos uma terceira alternativa também preparada devido às tantas intempéries que já atravessamos. Na última sexta-feira, porém, nenhuma das alternativas preparadas serviu. Enquanto dávamos sequência a uma aula sobre o encerramento da vídeo carta, Bira, fotógrafo do Observatório das Favelas e nosso maior contato em assuntos de segurança dentro da comunidade, se dispôs a sair conosco pela Nova Holanda para que filmássemos tudo que tínhamos programado desde o início do projeto, há quase dois meses.


Uma primeira foto fora dos muros do LPP.

Éramos quase 20 pessoas caminhando e chamando a atenção de todos na rua, se não fosse o comprometimento que as crianças tem com o trabalho teria sido impossível. Estivemos em lugares perigosos, rodeados dos armamentos mais pesados e dos olhares mais ameaçadores. Porém, dessa vez a sensação era de que quem estavam armadas eram as crianças. Tudo foi muito intenso. Como me disse o Bira: "Quando eu deixo vocês filmarem aqui eu - e mais ninguém - estou assinando um cheque em branco e colocando-o na sua mão".

Bruno e Raine assistindo ao encerramento da vídeo carta dos índios da Amazônia.

Com isso em mente, o trabalho segue cada vez mais rico e já podemos ficar satisfeitos com a resposta que estamos dando para as crianças da Amazônia com a nossa vídeo carta. A câmera é arma e isso não é novidade para ninguém. Ver as crianças sacando essa arma a 10 metros da principal "boca" da Nova Holanda foi fantástico, um misto das emoções e dos impulsos mais antagônicos. Vinham olhares daqui pra lá e de lá pra cá, mas ninguém contestou nada. Focamos no trabalho e tentamos aproveitar ao máximo o dia em que as crianças tomaram de assalto as atenções nas principais ruas da Maré e trouxeram muitos outros personagens para o universo da nossa vídeo carta. Que dia!

Fabio Cascardo
Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro

Thursday, July 16, 2009

Driblando adversários

Flip camera


Cada vez correndo mais contra o tempo, chegamos à reta final das filmagens da nossa vídeo-carta. Logicamente os problemas para filmarmos a comunidade persistem, e, consequentemente, continuamos sem uma autorização para ganhar o mercado, as praças e as ruas da Maré com a câmera em punho. É um trabalho complicado e que sabíamos que demandaria tempo. Contudo, restam apenas duas semanas de trabalho e não conseguimos ir além do campo do futebol para filmar as crianças jogando e soltando pipa. O campo de futebol fica ao lado da sede do LPP.



Chris, Nadia e Joel assistem a primeira filmagem com a flip camera.


Essa situação nos levou, desde a semana passada, a utilizar uma flip camera no nosso trabalho, e dedicamos uma aula para apresentar essa nova ferramenta para as crianças. O processo de filmagem com a flip camera é muito mais independente do que com a câmera convencional já que o aluno está sozinho com ela. Sendo assim, fizemos os alunos escreverem num papel o que gostariam de filmar e, com base nisso, definimos uma ordem de quem levaria a câmera pra casa. É quase uma missão impossível mantê-los sentados por mais de 7-8 minutos escrevendo sobre algo tão livre, mas deu tudo certo.



Alexandre, Bruno, Rayane e Rahonne escrevendo o que gostariam de filmar com a flip cam.

Alexandre


Alexandre foi o primeiro a levar a câmera para casa, ele queria filmar a sua tia cozinhando. Ótima ideia e já de primeira a flip câmera serviu para romper a barreira da timidez de um aluno que tem um potencial enorme. Ele sem dúvida está se sentindo mais confortável no projeto após o tempo que passou com a câmera. A filmagem do Alexandre em breve estará aqui no blog também, portanto, um terceiro benefício ao utilizar esse tipo de material e que deixou tanto nós quanto as crianças animados em ver os vídeos online.


Rayane sendo filmada por Alexandre para o blog.


A fim de sair da sede do LPP, ontem fomos a um fantástico evento de interação entres as crianças do Afroreggae e do LPP e fizemos imagens do passeio e das crianças lutando boxe, capoeira e maculelê. Além disso, na próxima segunda-feira estamos com um passeio agendado para a praia de Copacabana. Com toda a energia que essas crianças tem, esse passeio tem tudo para ser inesquecível!



Fabio Cascardo.
Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro.

Wednesday, July 15, 2009

rahone gomes

eu estou aprendendo a editar o filme que agente ta fazendo
rahone gomes
lutap pela paz
luta livre

Friday, July 10, 2009

Vídeo Carta.

Sou da ONG Luta Pela Paz, estou no projeto a um ano e um mês, faço boxe informática entre outras coisas que o projeto oferece. E a um mês atrás começamos esse aprendizado de vídeo Carta, que está sendo uma maravilha e é bastante legal, não só o que aprendemos mais também as pessoas que dele participam. Como vocês podem ver essa é uma das fotos que eu tirei no Observtório de Favelas que tambem é dentro da Maré. Eu tenho 15 anos e esse é apenas um pedacinho de um grande inicio.



lucas

Oi
oi meu nome e lucas
oi meu nome e rahone e eu faço lutalivre no luta pela paz
rahone gomes
oi meu nome e rahone e eu faço lutalivre no luta pela paz
rahone gomes

rahone gomes

hoje eu aprendi a editar imagem dos video no observatorio de favelas e foi muito
rahone gomes
luta pela paz
luta livre
video
video

Eu gosto de filmar



Eu quero filmar o jogo de sexta-feira onde você paga pra se divertir no jogo e as penções quando você nâo quiser fazer comida.


michel
eu queria filmar as pipas , eu também queria filmar a minha casa , eu achei o curso legal por que eu aprendi a filmar ,apresentar e fiz muitos amigos legais .

David

Foi muito maneiro a flip camera, gostei muito de filmar com ela mas acho que fiquei nervoso, que como eu disse não gosto nem sei apresentar, mas espero ficar feliz com os resultados e estou ansioso para eitar.

David Carvalho
Luta pela paz

Rayanne

Oi segunda-feira eu vou levar a frip câmera para casa para eu filmar oque eu quiser


Rayanne Soares da Silva

coisas inportantes

eu vou escrever agora o que quero filmar para os índios.
eu quero mostrar a eles como e a tequinologia como é as nossas comidas e as coisas que nós fasemos.
vou mostrar o meu computador vou mostrar o papagáio da minha tia
e o dia a dia da minha vida.

Bruno Batista

Alexandre

Eu fiumei a minha tia fazendo comida em casa e eu mostreia minha filmagem para todos os colegas
Alexandre dos Anjos Santana junior

rahone

hoje eu filmei com a flip camera e nos apresentamos
rahone gomes
luta pela paz
lutador de luta livre

David

Eu queria filmar o computador, eu tocando o violão e explicando sobre e o mesmo com o desenho.
Mas eu não gosto muito de apresentar; meu negócio é filmar e fotografar sabe; aí vai ficar meio difícil mas eu vou tentar e eu tenho um mp5 que também filma e poderia filmar com isso. vou ler e reler mais do que eu já li a folha que a Nadia fez.


David Carvalho
Luta pela paz

How to face it!


It's been over a week, but it still seems like Michael Jackson is on everybody's lips and not least radios and screens. When we walk down the main street in Maré to Luta Pela Paz, it is always accompanied by the sounds of Thriller or some other MJ-tune dancing out the street vendor's small tv's. I tell you this to get the opportunity to share with you a picture of Lucas. Being the youngest in the group he always gets a lot of attention - not least when the kids command 'Michael Jackson', and he puts on the face above.

Nadia Claudi, The New School, NY

Tuesday, July 7, 2009

Vamos editar.

Encontra no ponto de ônibus em Botafogo, entra na van em direção à Av. Brasil e na altura da passarela 9 o grupo está na Maré. Mais uma vez.


A semana começa na expectativa de que o processo de edição se inicie e que a vídeo-carta comece a ganhar sua própria forma. Para isso planejamos a atividade do dia em torno das cenas que já estavam filmadas e pensando nas que ainda gostaríamos de filmar, fazendo com que os alunos se lembrassem de cada tema filmado até hoje, escrevendo-os no quadro negro, e, em seguida, estimulando-os a organizar superficialmente um roteiro para pautarmos as próximas filmagens e o trabalho de edição.


Nadia filmando a brincadeira da laranja na festa junina.
As crianças decidiram colocar as brincadeiras da festa no final do filme, junto com as demais.


Rahoni e David eram os únicos alunos presentes a essa altura da aula, e ambos tiveram excelentes ideias sobre novos temas a serem filmados. Tendo dividido o filme basicamente em três diferentes partes (apresentação do LPP, esportes e dia-a-dia na comunidade), surgiram ideias para melhorar a apresentação, bem como para encerrar o filme. Por exemplo, ontem mesmo - já na companhia de Henrique, o terceiro aluno presente – eles filmaram/apresentaram todo o prédio do LPP, desde o letreiro até o terraço, inclusive dialogando diretamente com as crianças da vídeo-carta da Amazônia. Já para o encerramento do filme, surgiu a ideia de filmar o pôr-do-sol na Maré, um tipo de abstração que ainda não tinha aparecido entre os alunos já que o filme trabalha diretamente com coisas, pessoas, tarefas e lugares do seu dia-a-dia. O pôr-do-sol pode ajudá-los a dar uma vazão artística nesse trabalho.


Outra contribuição para as próximas filmagens foi a chegada de uma flip camera, a qual os alunos se revezarão em levar para casa após as aulas. A ideia é levar a vídeo-carta a lugares onde não temos fácil acesso, mas apenas os alunos, e aproveitar isso no filme apesar da qualidade inferior do material que surgir dali. Ao mesmo tempo, a flip camera pode ajudar cada um a ganhar intimidade com a câmera e a filmar temas mais intimistas, portanto, torna-se uma boa ferramenta para o projeto como um todo. Veremos os resultados já na próxima quarta-feira se tudo correr bem.


Conforme o planejado – o que já demonstra o nosso jogo de cintura em relação a todos os imprevistos que sempre surgem nesse projeto -, quando faltava uma hora para encerrar as atividades fomos ao Observatório das Favelas acompanhados dos alunos para introduzi-los ao processo de edição. Essa introdução se resumiu a apresentar a sala dos computadores, o programa TVR, o HD portátil, alguns cabos de vídeo – siglas, portanto - etc. Já num clima de descontração assistimos a alguns de nossos vídeos enquanto Henrique tirava fotos de todos no novo ambiente, até que pudemos, enfim, comemorar mais um dia trabalhado na Maré.


Fabio Cascardo

Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro

Friday, July 3, 2009


Eu Rayanne sou flamen
Rayanne lutapelapaz capoeira

David

Estou ansioso para começar a editar a filmagem e mandar pra eles! Quero ver como eles vão ficar e se vão achar ruim ou bom.
E sobre o torneio de boxe nós podíamos usar o b-roll e toda a criatividades que temos!
Vai ficar bem legal!! Espero!


David Carvalho
Capoeira, Luta pela paz

lucas

eu coito de joga piaõ alergjando
lucas
lutapelapaz

Thursday, July 2, 2009

Midpoint: Creating Language Together - Criando Linguagem Juntos




We don’t teach any language to anyone. Children become competent in a language. After that we can teach the grammar. But language we experience, we create. So I respected the students very much- Paulo Freire

After a few weeks of internal debate about what to write for this blog, I figured the best way to do it will be to just write, and let my thoughts be free in conjunction to the many others (including our talented new youth journalists) that are already making a great contribution to this stream of consciousness. Finding ourselves at the half of this experience, we have all embarked in the creation of something bigger than ourselves, touching everybody who fights for social transformation from this pocket of the world in the thriving community of Nova Holanda. New School and PUC students, who have hit the ground running with a commitment to give the tools for freedom of expression; Mentors, monitors and volunteers from Luta Pela Paz and Maré in general, who give all of themselves every day to recruit soldiers of peace; Finally and most important, all the teens in the academy, who are making an amazing effort and are the main architectors of the positive legacy of this community project. We are all experiencing and creating language together.


Since my colleagues have dutifully expressed our group feelings of joy as we see the teens progressing in their abilities to use media to express themselves, I would just for now take some time here to briefly caption on a couple experiences that for me have been cornerstones to understanding the process of community care. These come to me as visual images, burned in my psyche as a camera exposes a picture:

Picture #1: Festa Junina. Dozens of kids walking in and out of colorful festivities. Caipira music invading every corner. Dancing. Food and drinks untouched until permission given for all. Kids playing fishing, kids playing bowling, kids playing kissing. Kids playing.

Picture #2: Bira visiting the academy after an amazing day of production in the field. A meeting of minds and hearts. One of the most beautiful afternoons ever recorded in my head.

Nós não ensinamos nenhuma língua para ninguém. Crianças se tornam competentes em uma língua. Depois que nós podemos ensinar à gramática. Mas as línguas nos experimentam, nós criamos. Então, eu respeito muito os alunos - Paulo Freire



Após algumas semanas de intenso debate interno sobre o que escrever para este blog, achei a melhor maneira de fazê-lo será apenas para escrever, e deixar o meu pensamento livre, em conjugação com muitos outros (incluindo os nossos jovens talentosos novos jornalistas) que estão já dando um grande contribuo para este fluxo de consciência. Encontrando-nos na metade desta experiência, todos nós já embarcamos para a criação de algo maior do que nós, tocando todos os que lutam pela transformação social a partir desta parte do mundo na próspera comunidade de Nova Holanda. Estudantes da PUC e New School , que têm trabalhado com um compromisso de dar os instrumentos para a liberdade de expressão; Mentores, monitores e voluntários de Luta Pela Paz e toda Maré, em geral, que dão tudo de si mesmo todos os dias para recrutar soldados da paz; Por último e mais importante, todos os adolescentes na academia, que estão fazendo um esforço incrível e são o principal arquitetos do legado positivo deste projeto na comunidade. Estamos todos experimentando e criando linguagem juntos.

Desde os meus colegas têm devidamente expressado nossos sentimentos de alegria quando vemos os jovens progredindo nas suas capacidades para utilizar meios de comunicação para expressar-se, queria apenas para agora levar algum tempo para aqui brevemente dar uma legenda das experiências que, para mim tem sido a pedra angular compreensão do processo de cuidado comunitário. Estas vêm a mim como imagens visuais, queimado na minha psique como uma câmera expõe uma imagem:

Foto # 1: Festa Junina. Dezenas de crianças a pé para dentro e para fora da festa colorida. Caipira música invadindo todos os cantos. Dança. Alimentação e bebidas intocadas até dado permissão para todos. Crianças brincando de pesca, crianças jogando boliche, crianças jogando beijos. Crianças jogando.

Foto # 2: Bira visita à academia depois da uma maravilhosa tarde de filmagem e brincadeiras. Uma reunião de mentes e corações. Uma das mais belas tardes jamais registrada na minha cabeça.

J. Alejandro Alvarez - New School University





video

One of many great moments between Bira and the children. This scene is shot after a long day of filming within Complexo do Mare and Bira is teaching the children about how many states there are in Brazil before a guy with a van and soda shows up.

Bira is our access guy, he tells us where we can film and where we can't. Most of the times it's can't because he wants us to be 100% safe and because there are a lot of underlying problems in the favela. Bira has a history in Mare, which I am not going to discuss further in this blog, but everyone knows him and trusts him. He runs a photography project at Observatorio das Favelas and he is the guy to know if you want to do anything in Nova Holanda.

Christoffer Næss
New School University, New York

Wednesday July 1st

To see the best thing that came out of our class today, you'll only have to scroll down this page and read the latest posts: Michel, Alipio, Alexande, David, Rahone, Rayanne, Valdeilson, Lucas and hopefully soon the rest of the children from the Video Carta group became a part of the Luta Pela Paz blog today. Bem vindo a voces! Estou muito animado sobre este blog, sobretudo saber que todo o vídeo Carta grupo está aqui!

This also made it up for the fact that we didn't get outside to film today. Knowing that this could be a possibility we made both a plan A and a plan B from home. Plan A was to bring the cameras and the kids outside and film while presenting the animals in Maré. Pigs, chickens and dogs just to name a few. But, as mentioned earlier on this blog, it is complicated to film outside the walls of Luta Pela Paz. We therefore always get guidance from Bira, a photographer from Maré, who teaches photography at another organisation in Maré called Observatório de Favelas. Bira is also an important figur in the work at Luta Pela Paz. What ever is worth knowing about situations such as moving around in Maré with a camera, he knows. This Wednesday, after Bira's advice, we ended up with plan B, which was to teach a workshop of creative filming and to introduce the blog to the children. It actually turned out to be a first class experience, since eight new blog posts came out of it.

The fact that the kids only need to take a few looks at the blog before jumping into writing and publishing posts on it, is very characteristic for their relationships to the whole so-called 'Information Age'. At Luta Pela Paz the kids have access to computers with internet connection and they are also being teached a class called 'Informatica', where they spend a great amount of time in front of a computer. And then there are of course the social networks online that some of the children are familiar with, such as Orkut, the Brazilian version of the infamous Facebook community. Not to mention the computer games of course, which almost all of the kids sneak to practice, when ever they get the chance.

After doing the blog workshop and after all having posted on the blog, we turned to our creative workshop. Logistics are always a challenge, and our original plan for the creative filming was that the children should have brought their favorite thing from home and film it in various creative ways. However, this part of the plan was falling through, so we instead asked the children to choose a favorite thing, a person or an activity at Luta Pela Paz. After writing about why they made this choice and what it meant to them, they all did their own invidual filming. Lucas did a really great shot of a boxer's dancing feet in the gym. Michel filmed three different capoeira instruments in the courtyard outside the gym, while he explained the names and the use of them. And Rayanne got some good close-ups of Caro, her favorite educator at Luta Pela Paz.

Further down you can see how the schedule of the day looked like. The plan mentions giving the kids a flip camera, but we never got to do that since we still don't know if there are any flips available for our group. The flip is a very simple little video camera, not bigger than a small digital camera. The idea is to give each of the children a few days with it, so they can film in their homes, where we might not have access with the big and not very incognito video cameras. This will also give the more shy children a chance to play around with a camera on their own.
Hopefully we will be able to let the first of the kids bring the flip home sometime during next week. I am sure something really great will come out of it - since it will bring another dimension, the home environment, into the children's video letter.



And as promised, the schedule:

Wednesday, the 2nd of July
2.00 - 2.15: Ice breaker. MCJoel is doing a freeeeestyle.

2.15 – 2.45: Basic film production:
-B-role (Alejandro). Why is it necessary and what do we use it for. Show examples from the Amazone film. E.g. the girls walking from one hut to another.
- Cover pictures (Nadia). What are they and what do we use them for.

2.45-3.00pm: If we have the flip camera, we should introduce it and the one bringing it home should get a chance to try it.

3.00 – 5.00 pm
Plan A: We can go out an film.
3.00 – 3.15pm: talk about what we are filming today and divide into groups (Chris). 3.15-5.00pm: Shooting outside. It depends on Bira what we can do and if we can split the kids into two groups.
Possible themes:
- Animals
- Where do the kids buy food, toys, clothes etc.

Plan B: We can't get outside to film
3.00 – 5.00: Workshop on creative shots. Joel will do a 15 minutes introduction on how to make creative shots.
After this we will give them ten minutes to write about their favorite thing. Hopefully they have all brought one for class and if not, they should find a thing at LPP.
Key things to write about: Why did they choose this thing and what does it mean to them. It can also be a person or themselves.
After the writing they will go to the gym, film their favorite thing from an angle they choose and talk about it while filming. The shot should be no longer than 30 seconds.
This workshop should be incorporated another day, if we are going for plan A.
4.45 – 5.00: Blog workshop. What is a blog and what can a blog be used for. Show them Luta Pela Paz’s blog and teach them how to post something on it. Fabio – do you want to do this?

Note: at the end of the day we are bringing home both cameras to go through the material so we will have an overview Friday, when the editing starts. One camera goes to Nadia in Ipanema and the other goes to the boys in Botafogo.

Nadia Claudi
The New School University, New York

Wednesday, July 1, 2009

michel, 1 julho

eu gosto da onde moro porque e perto do luta pela paz pra min fazer a minha capoeira e complimentaçâõ escolar e eperto do circo e dos meus amigos da minha tia e da minha vo dos campos de futebol.

1 de ju

E ai pessoal. Bem eu me chamo Alípio Henrique estou no projecto(ONG) Luta Pela Paz a 1 ano e 1 mês. Aqui eu pratico o Boxe, faço curso de informática e agora o maravilhoso curso de Vídeo Carta, que é um curso onde aprendemos a manusear uma câmera, como fazer uma boa filmagem e o nome Vídeo Carta é porque não se trata de apenas assistir como se fosse apenas um filme e sim ouvir como se estivesse lendo uma carta, por isso o nome.
E faço curso para a formação para o Mercado de Trabalho.
Adoro todos os que participam do Vídeo Carta sem excessão.
Amo essa academia, aqui é a minha segunda casa.


Alipio Henrique
Boxe, Luta Pela Paz

Alexande

Eu sou alexandre gosto do luta pela paz e faso boxe.
Eu sou lindo
Alexandre dos Anjos Santana junior-acacemia luta pela paz

David, Video carta.

Adorei as aulas de vocês e fico muito feliz por ter aprendido tanta coisa sobre filmagem e vídeo carta. Gostei muito da maneira qu vocês ensinaram e isso é muito imporatante pro futuro de vocês.Espero guardar isso a vida toda. Muito obrigado! Estou realmente grato por isso! Pois descobri uma nova coisa que gosto muito, que é filmar!


David S. de Carvalho
Capoeira, Lutapelapaz.

rahone

oi meu nome e rahone eu faço luta livre no luta pela paz e videos carta hoje ta muito calor aqui no rio de janeiro e eu hoje aprendi como se fazer um blog eu jogo muito futebol e solto pipa

Rahone Gomes Gonçalves -luta pela paz

Administração

Oi no dia que nós filmamos a administrção, eu e o Michel apresentamos o Rahone nós filmamos o fundador do projeto funcionarios etc...


Rayanne Soares
Academia lutapelapaz

Eu eo luta

Valdeilson boxe :

E ai gente, beleza, meu nome é valdeilson, eu faso boxe aqui no luta pela paz , aqui eu me divirto , aqui eu faso boas amizades ,tenho bons profressores , em geral este é a minha segunda casa.

Lucas

eu coesto de joga piaõ
eu coito de joga bola
euesto patisipao
lucas-lutapelapaz

Monday, June 29, 2009

David and Rayanne leading the way in the Video Letter Project..

June 29, 2009
Friday/Saturday Luta Pela Paz

You really never know what to expect when you arrive at Passarela Nove and Avenida Brazil. The streets are hot on Friday's in Mare. Fridays are when Favelas usually have Baile Funk parties where a lot drug dealing take place. Everyone knows this; especially the police and you always see them patrolling the streets. We came with the hopes of continuing our filming outside Luta Pela Paz and within the Complexo de Mare. However, we got word early that things weren't too safe so we couldn't film outside of the walls of Luta Pela Paz. We made the best of our situation and the kids did a great job filming the staff of Luta Pela Paz as well as boxing classes.

It's funny, while we clearly hear gunshots from M-3's and AK-47s 3 blocks away; the kids are only focused on the lesson plan we've prepared for them. They are extremely focused while violence is going on so close to home. It's also really pleasing because it means that they see what we are teaching them as much more interesting than what’s going on outside.

Saturday, I had an interview with Luke Downey founder of Luta Pela Paz. During the interview Luke talked about how the filming of the video card is not only having an effect on the kids, but the staff as well. They did a great job filming the staff at Luta Pela Paz. They went around and had each member introduce themselves and their position. It was pretty awesome. They held it like an interview and asked the staff members why they are doing what they are doing. They are really taking control of this project. Luke explained after the kids filmed that scene how many of the staff members were in tears. They’re so proud of them and know this is a rare opportunity for them. It was great to hear that coming from the founder of Luta Pela Paz.
So while the day in Mare started off on a violent note, what went on in Luta Pela Paz had a greater impact on everyone’s day.

Joel Malebranche
New School University, New York

Sunday, June 28, 2009

No Rio, Maré.

“Pedro vivia da pesca saia no barco seis horas da tarde só vinha na hora do sol raiar”. O mar, Dorival Caymmi.

Sexta-feira, 26 de junho, chegamos para mais um dia de filmagens na Favela da Maré. Apesar do nosso atraso, um bom número de estudantes nos esperava para o início da aula, que estava programada para falarmos um pouco sobre edição, analisarmos melhor a vídeocarta sobre os índios da Amazônia e, enfim, sairmos pela Nova Holanda para filmar aquilo que fosse importante para os estudantes. Apesar do tempo nublado, não chovia no Complexo da Maré.

As crianças não tinham dificuldade de compreender como funcionava o processo de edição quando começamos a ouvir alguns tiros serem disparados na rua, sinal de que mais uma vez teríamos que mudar os planos da aula por falta de segurança na comunidade. Nosso grupo estava dividido, Teresa e Simone estavam no Observatório das Favelas arranjando um computador com configuração para suportar os programas de edição e agora não podiam caminhar até a sede do Luta pela Paz, que fica do lado oposto da comunidade.

De alguma forma tiroteios como o dessa sexta-feira já não alteram o emocional de ninguém ali. As crianças já estão acostumadas. Nós talvez precisemos de mais algumas semanas para ouvir passivamente os ruídos de uma AK-47. Como se não bastasse termos que nos preocupar com luz, chuva etc. temos que acompanhar o ritmo da favela. Com resignação seguimos nossos planos, aprendendo cada vez melhor a improvisar.

Ficou decidido que faríamos imagens internas, gravando Lucke, o fundador do projeto, e o treino de boxe que aconteceria na academia com alguns dos nossos alunos, inclusive. Sempre deixamos os estudantes livres para manusear as câmeras, porém, é necessário estarmos atentos à luz, ao foco e ao som para que as imagens possam ser aproveitadas com alguma qualidade no momento da edição. Nos surpreendemos, contudo, quando, ao entregarmos as câmeras para as crianças na academia de boxe, elas terem iniciado todo o processo de preparação de um take por conta própria. Como costumamos brincar: foi sucesso!

As crianças quando trabalham com pequenos grupos onde cada um tem uma função específica para a filmagem se organizam magnificamente. Trabalharam o texto, testaram o som, se preocuparam com o foco (apesar de não terem regulado-o) e ficaram atentos para não filmar espelhos ou as muitas pessoas que deveriam ficar por de trás da cena. Ficaram cerca de uma hora a sós com a câmera, sem qualquer interrupção. Comemoramos muito.

Em um dia em que a van que nos leva para a Maré não passava, que a TV para revermos nossos vídeos não funcionou, que tivemos uma briga entre alunos em sala de aula e no dia em que os tiros lá fora não paravam, obtivemos também a melhor resposta dos estudantes ao trabalho que vem sendo desenvolvido, nós com eles e eles conosco. Assim vamos aprendendo a lidar com a Maré. Vezes alta, vezes baixa, a Maré se impõe ali com a naturalidade que seu nome carrega, com a regularidade que só quem vive ali soube conhecer e se adaptar.

Fabio Cascardo
PUC University, Rio de Janeiro

Saturday, June 27, 2009

video

J. Alejandro Alvares from New School University in New York, teaching the kids basic film production before shooting

video
video
An energetic Lucas, great kid.. too small to really film though, but he can do some great presentations if he feels like it

Friday June 26th


Fridays are always pretty interesting in Complexo do Mare. We came in a little bit late, but luckily the children have a lot of things to play with at Luta Pela Paz. We found them all in the gym and they were ready for a new class. This was our schedule for Friday.

Icebreaker 2:00-2:15 – Telephone game/Micheal Jackson

Editing 2:15 – 2:30
• What are the basics of editing?
• What’s the purpose of editing?
• Why do you have to edit?
• We edit because for the amount of footage we get, we can’t watch all of it.
o To get a narrative line.
o For the viewers to understand what we are trying to portray.

Break 5-10 (?)

Footage from last week. 2:40 – 3:10
• The last 10 minutes: watch 5 min. from the Amazons and talk about it 5 minutes.
• Video clips from last class
• What worked and what didn’t work?

Talk about what we’re filming today. 3:10 – 3:25
• Going to locations with Bira
• Graffiti (?)
• Visiting the homes of the students (?)
• Animals in the neighborhood
• Restaurants in the neighborhood
• David’s bike

The first theoretical parts went well. We had a great editing workshop and we discussed editing while watching parts of the video letter from the Amazon again. After the class we were supposed to have a brief talk with Bira, who is our security guy in the favela, about different possible locations for shooting outdoor scenes. We never got so far because of pretty heavy machine gun funk from outside the organization. There was a slight panic spreading through us, the professors, whereas the children did not seem to pay any attention to it at all. The children are used to the rapid and loud clacking sounds from AK-47's, maybe we will get used to it too after a few more weeks. Today was the second Friday in a row where we have had to "hide" for about half an hour because of shootings outside. However, we changed our schedule and started doing presentations of the administration and the various professors instead. This went very well, and it was great seeing the kids filming themselves, checking sound and white balance (without really adjusting the white balance, we reckoned the kids just thought it was a cool thing to stand in front of the camera pretending to do some serious video production stuff, holding up a white sheet of paper..) and moving around presenting their professors totally on their own,. This is exactly what we have been working towards, having the children film and present their surroundings on their own, establishing a natural component to the video letter.

We also sorted out where we can edit the film and what software to use. We were lucky to be able to use the computers at Observatorio das Favelas, another NGO in Mare not far from Luta Pela Paz. We will start rendering what we have of footage Wednesday and start editing on Friday with the children.

Christoffer Næss
New School University, New York

Wednesday June 24th



Schedule:
Brincaderas and Futebol

• 2:00 – 2:15 Icebreaker (Fabio)
• 2:15 – 2:30 Few rules about filming (Nadia)
• 2:30 – 2:45 Review footage from Monday – what worked and what didn’t. (Alejandro)
• 2:45 – 3:15 Inform students what they will be filming (Christoffer)
➢ What did they bring for the Brincadeiras?
➢ Did they do their homework? Review Homework.
➢ Talk about different ways to film.
➢ Explain to the group that they will be in 2 groups and switch. **
➢ Split groups in 2 based on what brincadeiras they brought.

• Emphasize that this is a product of art. Think about all of the possible ways you can shoot. Keep in mind what you have learned. If you think about something you find interesting, give it a try. We are here to help. (All)

Today we wanted to follow up on the lesson we taught on Monday by reviewing the footage they took. We discussed with the class in their eyes what worked and what didn’t worked based on the lessons from Monday and Wednesdays. What helped the a lot were the amazing work sheets Nadia worked on. She drew pictures framing the basic ideas of filming (sun light, sounds, camera angles etc). The graphics and directions in Portuguese was a success. The kids really took to it and were able to make adjustments based on it. This was very important, because for the first time we were going to have access to the outside. The situation in Mare at times can be tense. We aren’t able to just film anything, since we do have restrictions. Usually, when there are restrictions (thinking in terms of the US) people don’t respect them. However, in Mare we go through Bira who is a community leader. He tells us what we can film and where we can do it. So, were able to film the kids of Luta Pela Paz and mare flying kites and playing futebol. While some of our crew took turns filming the day’s events, the end product will be mainly from the kids’ viewpoint.



What was so amazing about filming on the soccer field is that we got children from outside of Luta Pela Paz involved. They all surrounded themselves around Bira who keeps them honest. We probably should have been filming this sequence, but it’s one of those moments that are better left for those who actually experience it.

Joel Malebranche
New School University, New York

Monday June 22th


On Monday we had a meeting at 10am to basically discuss how things are going. There was some genuine concern based on last week’s events. Things were chaotic, unorganized and some of us probably felt disconnected from the process. However, we have regrouped and this week so far has been good. We decided to have a two-hour meeting before each class to schedule the day and do delegate responsibility. This was the schedule we came up with for Monday 6/22/09:

First 15 min (2:15) – Ice breaker (Teresa) Festa Junina?

2nd 15 min (2:30) –talk on being ambassadors and how to get the best out of a video letter. Alejandro and Nadia will show a prime example on how it should be. The camera should be a friend or a child who knows NOTHING about life at Luta Pela Paz

3rd 30 min (3:00) – Review of examples on proper video ethics. (Nadia)
• Holding the camera still
• Zoom use
• Rule of thirds
• Don’t film towards the sun
• How to set a scene
• Sounds and respect

4th 15 min (3:15) – Explanation of the day’s events. What we will be filming
Boxing, Informatica

Back up themes
Brincadeiras
Futebol
Chance to hold the cameras

5th 15th min (3:30) – Break

We followed the schedule and it turned out to be a great class.

Monday we taught the kids the basic ethics of filming. We basically informed the kids that with this project, they are ambassadors of Complexo de Mare. They are representing their community and need to get the best out of a video letter. Alejandro and Nadia showed the students a prime example on how it should be. What we reinforced is how the camera should be treated as a friend or a child who knows NOTHING about life at Luta Pela Paz. Everyone seemed to be excited and nervous about the opportunity to be ambassadors of their community.

However, we had to let them know that to properly do this they needed to learn the proper ethics of using a camera. Nadia led this discussion with translating help from Teresa one of the students from PUC. The basic rudiments that were followed were:

• Holding the camera still
• Zoom use
• Rule of thirds
• Don’t film towards the sun
• How to set a scene

The end result was a positive one. It’s the first time we got the kids filming activities at the Luta Pela Paz outside of the Festa Junina. One of the kids David is aspiring to be a journalist and shoot documentary films. He is very much into the project. So much so, that he admitted how nervous he was and we all saw he was visibly shaking. However, once we started rolling he was a natural. Another Natural on the camera is Rayanne. She loves the spot light and excels well in it. We also had some other students film one of their boxing classes. While excited, it proved to be more difficult because of the loud speakers in the gym.

Joel Malebranche
New School University, New York